Sindicato dos Empregados no Comércio de Fco Beltrão PR e Região

Sindicato dos empregados no comércio de Francisco Beltrão e Região

"Luta, trabalho, organização e qualidade de vida para os comerciários."

(46) 3524-1819 | 3524-2260
sec_fb@hotmail.com

Seguro Desemprego

O Seguro-Desemprego é um benefício integrante da seguridade social, garantido pelo art. 7º dos Direitos Sociais da Constituição Federal, e tem por finalidade promover a assistência financeira temporária ao trabalhador desempregado, em virtude da dispensa sem justa causa. Ao ser dispensado sem justa causa, o trabalhador receberá do empregador o formulário próprio , em duas vias, devidamente preenchido. Deverá, então, dirigir-se a um dos locais de entrega munido dos seguintes documentos:

·         Requerimento do Seguro-Desemprego SD/CD (02 (duas) vias - verde e marrom);

·         Cartão do PIS-PASEP, extrato atualizado ou Cartão do Cidadão;

·         Carteira de Trabalho e Previdência Social- CTPS (verificar todas que o requerente possuir);

·         Termo de Rescisão do Contrato de Trabalho - TRCT devidamente quitado;

·         Documentos de Identificação - carteira de identidade ou certidão de nascimento/ certidão de casamento com o protocolo de requerimento da identidade (somente para recepção) ou carteira nacional de habilitação (modelo novo) ou carteira de trabalho (modelo novo) ou passaporte ou certificado de reservista;

·         02 (dois) últimos contracheques e o último salário constante no TRCT, campo "Maior Remuneração"; e,

·         Documento de levantamento dos depósitos do FGTS (CPFGTS) ou extrato comprobatório dos depósitos ou relatório da fiscalização ou documento judicial (Certidão das Comissões de Conciliação Prévia / Núcleos Intersindicais / Sentença / Certidão da Justiça).

Com base na documentação apresentada o Posto de Atendimento informará ao trabalhador se ele tem direito ou não ao benefício.  Caso tenha direito, o Posto providenciará a inclusão do Requerimento do Seguro-Desemprego no sistema. A assistência financeira é concedida em no máximo cinco parcelas, de forma contínua ou alternada, a cada período aquisitivo de dezesseis meses, conforme a seguinte relação:

·         três parcelas, se o trabalhador comprovar vínculo empregatício de no mínimo seis meses e no máximo onze meses, nos últimos trinta e seis meses; .

·         quatro parcelas, se o trabalhador comprovar vínculo empregatício de no mínimo doze meses e no máximo 23 meses, nos últimos 36 meses;

·         cinco parcelas, se o trabalhador comprovar vínculo empregatício de no mínimo 24 meses, nos últimos 36 meses.Período aquisitivo é o limite de tempo que estabelece a carência para recebimento do benefício.

 Assim, a partir da data da última dispensa que habilitar o trabalhador a receber o Seguro-Desemprego, deve-se contar os dezesseis meses que compõem o período aquisitivo.

VALOR DO BENEFÍCIO

A apuração do valor do benefício tem como base o salário mensal do último vínculo empregatício, na seguinte ordem:
Tendo o trabalhador recebido três ou mais salários mensais a contar desse último vínculo empregatício, a apuração considerará a média dos salários dos últimos três meses;
Caso o trabalhador, em vez dos três últimos salários daquele vínculo empregatício, tenha recebido apenas dois salários mensais, a apuração considerará a média dos salários dos dois últimos meses; 
Caso o trabalhador, em vez dos três ou dois últimos salários daquele mesmo vínculo empregatício, tenha recebido apenas o último salário mensal, este será considerado, para fins de apuração.

Observações

O valor da parcela será de R$ 1.010,34 invariavelmente.

Caso o trabalhador não tenha trabalhado integralmente em qualquer um dos últimos três meses, o salário será calculado com base no mês de trabalho completo.
Para aquele que recebe salário/hora, semanal ou quinzenal, o valor constante no requerimento deverá ser o do salário mensal equivalente, conforme a regra abaixo:

Cálculo do salário mensal Salário/hora = Y --> Salário mensal = Y x 220 
Salário/dia = Y--> Salário mensal = Y x 30 
Salário/semana =Y --> Salário mensal = Y ÷ 7 x 30 
Salário/quinzena = Y --> Salário mensal = Y x 2 
O último salário é obrigatoriamente aquele recebido no mês da dispensa, constante no TRCT, no campo Maior Remuneração.

TABELA PARA CÁLCULO DO BENEFÍCIO
SEGURO-DESEMPREGO
JANEIRO/2011 Calcula-se o valor do Salário Médio dos últimos três meses trabalhados e aplica-se na tabela abaixo:

Faixas de Salário Médio

Valor da Parcela

Até R$ R$ 891,40

Multiplica-se salário médio por 0.8 (80%)

De R$ 891,41 até
R$ 1.485,83

O que exceder a 891,40 multiplica-se por 0.5 (50%)
e soma-se a 713,12.

Acima de R$ 1.485,83

Salário Mínimo: R$ 540,00

Observação:

·         O valor do benefício não poderá ser inferior ao valor do Salário Mínimo.

·         Em vigor a partir de 01 de Janeiro de 2011. O pagamento do benefício do Seguro-Desemprego será suspenso nas seguintes situações:

·         admissão do trabalhador em novo emprego;

·         início de percepção de benefício de prestação continuada da Previdência Social, exceto o auxílio-acidente e a pensão por morte;Caso o motivo da suspensão tenha sido a admissão em novo emprego, o que implica em não recebimento integral do Seguro-Desemprego, o trabalhador poderá receber as parcelas restantes, referentes ao mesmo período aquisitivo, desde que venha a ser novamente dispensado sem justa causa.A percepção pelo trabalhador de saldo de parcelas relativo a período aquisitivo iniciado antes da publicação da Lei nº 8.900, de 30 de junho de 1994, será, desde que atendidos os requisitos do próximo parágrafo, na demissão que deu origem ao requerimento, substituído pela retomada de novo benefício.Na hipótese da retomada prevista no parágrafo anterior, o período aquisitivo será encerrado e será iniciado novo período a partir dessa demissão.O cancelamento do benefício do Seguro-Desemprego dar-se-á nos seguintes casos:

·         pela recusa, por parte do trabalhador desempregado, de outro emprego condizente com sua qualificação e remuneração anterior;·         por comprovação de falsidade na prestação das informações necessárias à habilitação;

·         por comprovação de fraude visando à percepção indevida do benefício do Seguro-Desemprego;

·         por morte do segurado. 

Fonte: MTE